Blog Conectiva

4 dicas para elaborar a previsão orçamentária do seu condomínio

Uma questão crucial na gestão de condomínios é definir como serão gastos os valores pagos mensalmente pelos moradores. É preciso estabelecer as despesas e as receitas, sem que faltem recursos para honrar qualquer um dos compromissos do condomínio. Portanto, para não errar na hora de fazer a previsão orçamentária do condomínio, confira nossas dicas!

1. Faça o levantamento de todas as despesas

Nesse ponto, é fundamental não deixar nada de lado: gastos com conta de água, luz, limpeza, funcionários, manutenções recorrentes e materiais de consumo são os principais itens e geralmente representam os maiores custos. Um bom começo para calculá-los é levantando os valores do ano anterior, sempre procurando estimar os aumentos, que infelizmente são comuns.

Contudo, por mais que esses cálculos sejam bem-feitos, é impossível estimar os gastos com imprevistos. Nunca se sabe quando o portão eletrônico vai emperrar ou quando será preciso fazer um grande conserto no elevador, certo? Por isso, o orçamento deve prever a elaboração e a gestão de um fundo de reserva que possa suprir eventuais emergências.

2. Considere as sazonalidades

É frequente que algumas despesas aumentem ou diminuam em determinadas épocas do ano. Naqueles condomínios onde não há hidrômetros individuais, deve-se colocar na previsão orçamentária o aumento da conta de água nos meses de verão. O décimo terceiro salário dos funcionários é outro gasto sazonal que não pode ser esquecido.

Novamente, os números dos anos anteriores podem oferecer uma referência importante na hora de fazer a previsão orçamentário do condomínio.

3. Determine as receitas

Com os cálculos em mãos, é hora de estimar as receitas, que vêm dos pagamentos dos condôminos. O ideal é que a taxa cobrada seja uma média dos gastos previstos e se mantenha a mesma durante o ano todo, para facilitar o planejamento tanto da administração quanto dos moradores.

Nessa hora, é preciso lidar com um ponto delicado: a inadimplência. Por diversos fatores, alguns dos residentes vão atrasar ou mesmo não pagar. Contudo, isso não pode afetar a saúde financeira do condomínio, que deve ser capaz de absorver em seu orçamento parte desse prejuízo.

Posteriormente, os valores precisam ser ressarcidos pelos inadimplentes, por meio de acordo ou, se não houver outra maneira, cobrança judicial.

Por fim, evite rateios extras. Eles podem dar a impressão de que algo não vai bem com as contas e irritar os moradores.

4. Conte com ajuda especializada

Contar com uma empresa que possa atuar na administração do condomínio costuma ser a melhor solução para quem tem dificuldades em lidar com as diversas questões que cercam essas obrigações, evitando erros na área financeira.

Além disso,  outros problemas podem ser evitados com a contratação de uma administradora, como erros nas cobranças e em assuntos jurídicos, já que essas empresas têm incluído no seu trabalho um setor jurídico experiente, capacitado justamente para lidar com questões que envolvam a administração de um condomínio.

Como você viu, fazer a previsão orçamentária do condomínio não é uma atividade simples. Muitas variáveis devem ser consideradas e colocar em discussão com os outros moradores a contratação de uma empresa capacitada para fazer essa gestão é algo que deve ser feito para garantir o bom funcionamento do condomínio.

Para não perder mais nenhuma atualização do blog, curta nosso Facebook!

14 de Maio de 2018 Administração Condominial

Escreva um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *